Desde cedo, muitos de nós ouvimos que sempre devemos gastar menos do que ganhamos, que o segredo do sucesso financeiro é saber lidar com o dinheiro. Não discordo, porém, ademais de saber manejar o dinheiro de forma saudável, é importante saber onde e como aplicar esse dinheiro para fazê-lo render acima da taxa de inflação, aumentando assim o seu patrimônio.

Para tal feito, primeiro temos que derrubar um mito: de que é necessário uma grande quantia de dinheiro para fazer aplicações financeiras. Para derrubá-lo, venho informar que atualmente os tipos de aplicações tem se diversificado bastante, cobrindo assim todos os tipos de público, desde iniciantes com pouco dinheiro até os grandes investidores. A chave para inserir-se de forma segura no mundo dos investimentos é a informação. Existem desde blogs especializados na área, sites governamentais (no próprio site do Tesouro Direto tem mais informações e inclusive uma plataforma para simular o investimento) até o recém criado projeto “Precisamos falar de dinheiro”, desenvolvido pela Superintendência de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que usa um grupo de WhatsApp para difundir assuntos como educação financeira, poupança e investimentos.

Te ajudaremos neste primeiro passo para desbravar este novo mundo. É de extrema importância saber quais os tipos de aplicações financeiras existem e qual o seu perfil de investidor, pois acredite, o seu sucesso financeiro só depende de você!

Para definir o quão disposto estás à correr riscos, vamos descobrir o seu perfil de investidor:

Conservador: a segurança é o ponto mais importante para as suas aplicações, desta forma dá preferência a investimentos de baixo risco.

Moderado: assim como o investidor conservador, deseja segurança nos seus investimentos, mas também aceita investir em produtos com maior risco, se estes lhe proporcionarem ganhos melhores a longo prazo. Para pessoas com este perfil, diversificar é a estratégia indicada.

Arrojado: Em nome de maiores ganhos a longo prazo, aceita correr maiores riscos.

Já definido o seu perfil, o segundo passo é destrinchar os dois tipos principais de investimentos no mercado: o de Renda Fixa e o de Renda Variável.

Investimentos de Renda fixa são do tipo que oferecem maior segurança ao investidor, em que normalmente você consegue prever o rendimento que irá obter, ou no mínimo ter uma ideia aproximada.

De forma geral ele funciona da seguinte maneira: Você aplica uma certa quantia de dinheiro em determinada instituição, que vai emitir um título com um prazo estabelecido. No dia do vencimento você retornará o título e o emissor te pagará o investimento com os juros já combinado a priori.

Como existe uma gama grande de opções dentro de renda fixa, vamos nos ater aos dois mais badalados no momento, o título do Tesouro Direto e o CDB.

O Tesouro Direto é o título ofertado pelo Governo brasileiro. É como se você “emprestasse” seu capital  para o governo, e depois de determinado prazo, ele te retornasse o valor corrigido a uma certa taxa. Este investimento é conhecido pela sua segurança e rentabilidade.

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título emitido pelo banco com o objetivo de captar recursos para seus próprios investimentos. A dinâmica de funcionamento é similar ao do Tesouro Direto, mudando no caso somente o emissor, que será o banco e não o Governo Federal.

Mas você pode estar se perguntando, e se o emissor falir e não me pagar dentro do prazo estabelecido?

Se o banco estiver associado ao FGC (Fundo garantidor de crédito), é garantido ao investidor uma segurança de até R$250 mil de retorno por pessoa. Então não esqueça de pesquisar sobre o seu emissor antes de aplicar seu dinheiro em qualquer título!

Mas se seu perfil é mais arrojado a renda variável é a escolha certa. Ela se refere à investimentos na bolsa de valores. Com este tipo, você não tem um rendimento fixo, ou seja, ela reflete as expectativas do mercado, o que a torna muito volátil.

Para começar a investir em renda variável, é necessário ter uma conta em uma instituição financeira, como por exemplo uma corretora de valores. Variáveis importantes como capital inicial, prazo de aplicação e grau de risco, tem que ser analisados com muito cuidado antes de tomar a decisão em que ações você vai investir, pois o risco de perda de dinheiro é grande, e por isso é comum pessoas que fazem esse tipo de investimento criarem uma reserva de emergência.

Agora é com você, procure sempre se informar antes de qualquer tipo de aplicação (é sempre aconselhável procurar a ajuda de uma corretora) pois assim você torna seus investimentos muito mais seguros independentemente do grau de risco, pois como dizem informação é poder!

Por Jéssica Morselli, Analista de Gestão de Pessoas da SmartTel Jr.

One thought to “Como e onde investir seu dinheiro”

  • Igor Cardoso

    Ótimo post. Bem didático para quem quer começar a entender sobre investimentos.

    Reply

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Bitnami