Categoria:Tecnologia

Qual sistema de CFTV mais te atende? IP X Analógico

Com certeza você já viu, gostaria de ter, ou até mesmo possui um sistema de monitoramento, seja ele residencial ou comercial. Será que esses sistemas funcionam todos da mesma maneira? Se não, qual dessas maneiras irá te atender melhor?

A equipe da SmartTel preparou um bom e breve material que com certeza te ajudará a fazer a uma escolha mais acertada.

Sistema Analógico

Atualmente, em um circuito de monitoramento analógico, a qualidade que pode ser atingida é bastante satisfatória, sendo suficiente na maioria dos casos. Assim, podemos citar alguns exemplos em que o sistema analógico se destaca:

● Baixo custo em relação ao IP;

● Mais modelos no mercado;

● Pouca dificuldade teórica associada à instalação;

● Maior compatibilidade entre os dispositivos para marcas diferentes.

Na maioria das aplicações utilizamos cabos coaxiais para instalação do sistema analógico, esse cabeamento nos possibilita aplicações com mais distância de fios, devido ao menor ruído que os cabos coaxiais possuem em relação aos cabos UTP, que são mais utilizados em sistemas IP.

Imagem 1 – Cabo UTP

Com o avanço da tecnologia os sistemas analógicos ganharam a possibilidade do acesso remoto, mesmo as câmeras trabalhando com sinal contínuo (analógico) os modelos mais recentes de dispositivos de gravação para sistemas de CFTV, os chamados DVR’s, podem ser conectados à rede de internet local.

Então após algumas configurações de software, é possível gerenciar as imagens capturadas pelas câmeras de segurança sem alguma dificuldade, por isso para aplicações triviais os sistemas analógicos cumprem bem o papel.

Imagem 2 – Dispositivos que compõe um sistema analógico de CFTV

Sistema IP

Um projeto de CFTV (Circuito Fechado de Televisão) IP é um sistema de gerenciamento interno que utiliza um conjunto de câmeras com tecnologia IP (que usa a rede de internet para transmitir dados) estrategicamente implantadas em um local e conectadas a um gerenciador de imagens. As imagens monitoradas são repassadas a monitores nos pontos de distribuição.

Um sistema dessa magnitude é muito importante para reforçar a segurança da sua casa, pois as câmeras realizam um monitoramento contínuo que ajudam as equipes de vigilância especializada a tomarem melhores decisões. Utilizando ferramentas de redes IP e as imagens de alta resolução, o gerenciamento se torna ainda mais eficiente.

A tecnologia IP é bem mais atual e eficaz que o sistema analógico, sendo que as câmeras, por exemplo, podem chegar a ter resoluções de até 2592 x 1944 pixels. Isso permite que diferentes recursos fossem utilizados, como:

● Reconhecimento facial;

● Tratamento e edição de imagens;

● Detalhamento sobre objetos.

Para projetos maiores, o sistema IP se mostra bastante eficiente, não deixando escapar nenhum ponto importante na captura de imagens. Apesar do valor mais alto que as câmeras analógicas, a tecnologia IP ainda surge como melhor custo-benefício por clientes e empresas.

Além disso, as câmeras IP necessitam de menos cabos para serem instaladas. Os equipamentos são interligados e as imagens feitas digitalmente, utilizando a comunicação em rede do local. Elas são armazenadas de forma simultânea em gravadores de vídeo chamados de NVR, por meio de HD‘s externos.

Imagem 3 – Gravadores de vídeo NVR

Como uma possível vantagem do sistema IP, é possível citar os NVR‘s que são aparelhos que gerenciam imagens de câmeras IP. Diferente do sistema analógico e dos DVR’s, o grande avanço tecnológico está presente na maneira como é possível controlar todas as câmeras de um mesmo local e ao mesmo tempo. Fora isso, a tecnologia do NVR permite que as imagens sejam reproduzidas em Full HD, bem como sua visualização em dispositivos móveis.

Imagem 4 – Dispositivos que compõe um sistema digital (IP) de CFTV

Mas e quanto a você? Já possui um sistema de monitoramento em sua residência, condomínio, área comercial ou estabelecimento? Você sabe se necessita de um sistema analógico ou IP para a sua situação? Entre em contato com a nossa equipe e peça já o seu diagnóstico gratuito.

.

Autores

Guilherme Martins – Analista de Marketing na SmartTel Jr.

Enrique Kaiuca – Analista de Marketing na SmartTel Jr.

João Pedro Pereira – Vice Presidente na SmartTel Jr.

.

Informações

SmartTel Jr. – Projetos e Consultoria em Telecom

Contato: (21) 99861-0534

Mensagem: Whatsapp

www.smartteljr.com.br

Siga-me nas redes sociais: LinkedIn Instagram Facebook

CEP: 24210-240

Por que usar um Arduino?

O Arduino é o primeiro contato da SmartTel Jr. com Eletrônica. A empresa começou com o básico da eletrônica, estudando e utilizando este equipamento tão comum e famoso no meio tecnológico.

Imagem 1 – Arduino Uno

Apesar de barato, inúmeros projetos podem ser feitos através dele. Um exemplo prático da utilização do Arduíno pode ser a produção de um robô capaz de reconhecer o caminho que deveria trilhar. Enfim, a criatividade abre várias portas quando tratamos dos usos do Arduino.

Imagem 2 – Robô que reconhece o caminho a trilhar

Além da acessibilidade, não é necessário um conhecimento absurdo para usá-lo. Dessa forma, é possível programar na placa via IDE (Ambiente de Desenvolvimento Integrado), usando uma linguagem com base em C ou C++, por exemplo. Essa linguagem é comum e fácil de aplicar com um pouco tempo de estudo.

Imagem 3 – Básico da programação do Arduino

Portanto, é imprescindível que você pesquise e aprenda sobre os projetos para a execução e a prática. Até mesmo crianças conseguem desenvolver brinquedos sofisticados com essa pequena placa! Algumas escolas, com ensino inovador, já ensinam e incentivam o seu uso, desenvolvendo a criatividade para concretizar os próprios desejos manualmente.

Um outro exemplo prático que foi vivenciado e criado pela SmartTel Jr, foi um projeto de um sensor que reproduzia a promoção do dia, o qual acionava a cada vez que um cliente entrava pela porta da loja. Além disso, assim como esse, a equipe teve um outro projeto que consistiu em uma porta inteligente que emitia uma mensagem personalizada para os membros da SmartTel Jr ao entrar na nossa sala.

Imagem 4 – Utilização do Arduino em Visores

Ainda, também existem plataformas e cursos gratuitos que ensinam a programar no Arduino, facilitando a vida de quem quer fazer projetos DIY (Do It Yourself) que significa “faça você mesmo”.

Imagem 5 – Pequeno sistema usando Arduino

Se você deseja experimentar projetos em eletrônica, está curioso sobre o que consegue fazer e não tem muito dinheiro, um kit Arduino é a solução ideal. Você consegue encontrar kits completos (mesmo que básicos) na faixa de R$ 120.00, mesmo com a alta cotação do dólar no momento.

.

Autores

Guilherme Ferreira – Gestor Administrativo/Financeiro na SmartTel Jr.

Mateus Souza – Diretor Administrativo/Financeiro na SmartTel Jr.

.

Informações

SmartTel Jr. – Projetos e Consultoria em Telecom

Contato: (21) 99861-0534

Mensagem: Whatsapp

www.smartteljr.com.br

Siga-me nas redes sociais: LinkedIn Instagram Facebook

CEP: 24210-240

A Evolução das Câmeras de Vigilância e sua Importância ao longo dos anos

Atualmente, é perceptível que as câmeras de vigilância são essenciais para garantir segurança em determinados ambientes e locais. Elas estão tão difundidas nos lugares na qual frequentamos que quase não percebemos que elas estão em nossa sociedade há pouco tempo.

primeira câmera de segurança fabricada é do ano de 1965, e foi instalada na cidade de Nova York para o monitoramento da cidade. Nessa época, as câmeras não tinham a tecnologia que temos atualmente. Elas funcionavam apenas em circuito fechado e não tinham suas imagens gravadas e, por isso, precisavam estar em constante observação.

Com o surgimento do gravador de vídeo e das fitas cassetes em 1970, foi possível fazer com que 3 horas de imagens fossem gravadas, além de fazer com que essas gravações servissem de provas para determinados crimes.

Em 1980, as câmeras ganharam um microchip, que permitia a captação de imagens mesmo em ambientes com baixa luminosidade, aumentando assim, seu uso em áreas externas.

A maior virada de chave com relação a essa tecnologia ocorreu em 1990, onde começou a ser possível ter a gravação das imagens de um circuito de câmeras em um único arquivo. Também foi nessa época que surgiram as câmeras com sensibilidade a movimento.

Dentre os anos 2000 e 2010, muitos avanços foram feitos em relação a qualidade e armazenamento das imagens, reconhecimento de pessoas e acontecimentos.

Dessa maneira, a utilização das câmeras de segurança ganhou importância para a sociedade nos mais variados setores, onde de início ela era vista mais como um instrumento de segurança para a população, sendo utilizada majoritariamente pela polícia ou algum órgão responsável pela segurança da população.

Logo, elas acabaram se estendendo para os mais diversos setores da sociedade, percebe-se isso já que, hodiernamente, desde os hospitais até os transportes públicos, encontramos uma câmera de segurança.

As câmeras de segurança são, portanto, essenciais para qualquer atividade que envolva o tráfego de pessoas.

Nesse sentido, percebe-se a importância de um sistema monitorado, pois ele garante a segurança no local, já que o monitoramento pode inibir uma possível ação ilegal e também traz a sensação de segurança para as pessoas do ambiente, como também, obtém o controle de acesso das pessoas a determinados locais, servindo como meio para identificação dos indivíduos.

Assim, torna-se indispensável, nos dias atuais, a utilização das câmeras de segurança em ambientes que desejam ter e passar segurança para a sua comunidade.

.

Autores

Emanuel Teixeira – Gestor de Gestão de Pessoas na SmartTel Jr.

Kathleen Mendonça – Diretora Presidente na SmartTel Jr.

.

Informações

SmartTel Jr. – Projetos e Consultoria em Telecom

Contato: (21) 99861-0534

Mensagem: Whatsapp

www.smartteljr.com.br

Siga-me nas redes sociais: LinkedIn Instagram Facebook

CEP: 24210-240